Lêda Maria Bocchi de Souza

65 anos; Médica ginecologista; Campinas/SP-Brasil
Liga Feminina de Schoenstatt
Minha ligação com Schoenstatt foi inicialmente no Colégio Mãe de Deus em Londrina, onde fui professora em 82 e 83.
Desde então, participei preparando diversas palestras para encontros em Londrina, Atibaia e São Paulo.
Sou Romeira mensal fidelíssima aos Santuários de Schoenstatt, onde busco as graças para viver minha Aliança de Amor.

Que experiências marcaram sua vida como mulher?

Uma experiência marcou a minha vida como mulher: poder vivenciar em cada situação, durante toda a história de minha vida, tanto profissional como familiar, com um olhar feminino. Este olhar feminino delicado, compreensivo, amoroso diante da vida e das pessoas surgiu em mim pelo testemunho e ensinamentos de minha mãe, e o exemplo, o silêncio e o olhar de Nossa Senhora. O olhar de Nossa Senhora me conduz a olhar a vida com Ela, na mesma direção em que Ela olha, assim aprendi desde criança. Uma experiência que vale a pena. Vem de Deus. É uma experiência constante.

Onde em sua vida a senhora fez a experiência de Deus?

Fiz a rica experiência de Deus em minha família, na Igreja doméstica, em casa. O primeiro lugar de minha evangelização e o de meus irmãos foi no cotidiano de nossa família, com os ensinamentos de minha mãe e de meu pai. Aprendíamos sim, com o que eles nos falavam, mas principalmente aprendíamos com a maneira de ser deles, em observarmos como eles agiam, como valorizavam a vida e as pessoas, como em tudo davam Graças, como viam Deus nos acontecimentos da vida diária.  Meus pais sempre nos ensinaram que tudo o que acontece, nossas conquistas nos estudos, trabalhos, vida pessoal, não se concretizam apenas por nossos esforços pessoais, mas sim, sempre   através de Deus agindo em nossas vidas. Ensinaram-nos sobre a importância do Divino em nossas tarefas cotidianas. “Nada sem vós, Nada sem nós!”

Com isto, nossa fé foi se fortalecendo. Conforme a gente foi crescendo, estes ensinamentos foram tomando  uma dimensão maior, alicerçados em responsabilidade, mas facilmente absorvidos e vividos porque presentes desde sempre em nossa história. É como se a vivência da experiência de Deus fosse à escola com a gente e fosse amadurecendo em nós, transformando nosso interior, amadurecendo cada parte de nosso ser integral. Trago sempre comigo esta bagagem de amor, e a cada dia revivo a experiência de Deus no servir, no seio de minha família e na sociedade em geral, como católica e médica.

O que a senhora considera o desafio para as mulheres hoje?

O grande desafio para as mulheres hoje é a educação de sua família alicerçada nos ensinamentos do Evangelho e a vivência do Evangelho no seu trabalho e em sua vida familiar e social cotidianamente.

O que a senhora quer mudar no mundo através de sua vida?

Eu sonho que, através de minhas atitudes diárias, eu possa ajudar as pessoas a perceberem a importância de seguir o Evangelho com o auxílio de Nossa Senhora, nos momentos de alegria e de provações, sem jamais perderem a fé e a confiança em Jesus e Maria.

Desejo de coração, que, através de minhas atitudes diárias, eu possa mostrar que esta caminhada de amor vale a pena e preenche o nosso ser por inteiro, com uma intensa alegria interior e certeza da salvação eterna, que é o que realmente importa. Isto é possível porque temos uma Mãe que sempre está ao nosso lado e nos mostra o caminho a Seu Filho, com doçura, compreensão e acolhimento sem igual. 

Uma experiência marcou a minha vida como mulher: poder vivenciar cada situação, durante toda a história de minha vida, tanto profissional como familiar, com um olhar feminino. Este olhar feminino delicado, compreensivo, amoroso diante da vida e das pessoas surgiu em mim pelo testemunho e ensinamentos de minha mãe, e o exemplo, o silêncio e o olhar de Nossa Senhora. O olhar de Nossa Sehora me conduz a olhar a vida com Ela, na mesma direção em que Ela olha, assim aprendi desde criança. Uma experiência que vale a pena. Vem de Deus. É uma experiência constante.

Fiz a rica experiência de Deus em minha família, na Igreja doméstica, em casa. O primeiro lugar de minha evangelização e o de meus irmãos foi no cotidiano de nossa família, com os ensinamentos de minha mãe e de meu pai. Aprendíamos sim, com o que eles nos falavam, mas principalmente aprendíamos com a maneira de ser deles, em observarmos como eles agiam, como valorizavam a vida e as pessoas, como em tudo davam Graças, como viam Deus nos acontecimentos da vida diária. Meus pais sempre nos ensinaram que tudo o que acontece, nossas conquistas nos estudos, trabalhos, vida pessoal, não se concretizam apenas por nossos esforços pessoais, mas sim, sempre   através de Deus agindo em nossas vidas. Ensinaram-nos sobre a importância do Divino em nossas tarefas cotidianas. “Nada sem vós, Nada sem nós!”

Com isto, nossa fé foi se fortalecendo. Conforme a gente foi crescendo, este ensinamentos tomavam uma dimensão maior, alicerçados em responsabilidade, mas facilmente absorvidos e vividos porque presentes desde sempre em nossa história. É como se a vivência da experiência de Deus fosse à escola com a gente e fosse amadurecendo em nós, como amadurecia cada parte de nosso ser integral. Trago sempre comigo esta bagagem de amor, e a cada dia revivo a experiência de Deus no servir, no seio de minha família e na sociedade em geral, como católica e médica.

O grande desafio para as mulheres hoje é a educação de sua família alicerçada nos ensinamentos do Evangelho e a vivência do Evangelho no seu trabalho e em sua vida familiar e social cotidianamente.

Eu sonho que, através de minha vida, eu possa ajudar as pessoas a perceberem a importância de seguir o Evangelho com o auxílio de Nossa Senhora, nos momentos de alegria e de provações, sem jamais perderem a fé e a confiança em Jesus e Maria.

Desejo de coração, que, através de minhas atitudes diárias eu possa mostrar que esta caminhada de amor vale a pena e preenche o nosso ser por inteiro, com uma intensa alegria interior e certeza da salvação eterna, que é o que realmente importa. É possível porque temos uma Mãe que sempre está ao nosso lado e nos mostra o caminho a Seu Filho, com doçura, compreensão e acolhimento sem igual.